Seu Browser não suporta JavaScript!
TJBA Radio
Logo
Rádio TJBA RÁDIO TJBA
Selo Justiça
Facebook Twitter Youtube Flickr Instagram

Vídeo institucional encerra a programação comemorativa aos 29 anos do ECA

Texto: Ascom TJBA / Fotos: Nei Pinto

Compartilhar:
Imagem Galeria

A sexta-feira (12) do Tribunal de Justiça da Bahia foi marcada pelo encerramento das ações em comemoração ao 29º aniversário do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). Nesta tarde, foi a vez da apresentação do Projeto Vidas em Cena da Base Comunitária da Polícia Militar, com a peça de teatro ‘Zambi’.

A ação foi promovida pela Coordenadoria da Infância e Juventude (CIJ) do TJBA, que tem à frente a Desembargadora Soraya Moradillo, e contou com o apoio do Presidente, Desembargador Gesivaldo Britto. Aberta ao público, teve início na terça-feira (9). O primeiro dia contou com a apresentação de samba raiz, percussão e violino do Projeto Violinha Boa, uma parceria com a Organização do Auxílio Fraterno (OAF).

Na quarta-feira (10), as ações comemorativas incluíram a apresentação do Coral infantojuvenil do Colégio Salesiano Dom Bosco. Os Desembargadores Soraya Moradillo e Osvaldo Bomfim, Servidores do TJBA, além de visitantes e crianças da Organização do Auxílio Fraterno, estiveram na plateia. Quem compareceu, também acompanhou a performance da jovem Jucinara, da OAF, hoje violinista da Orquestra Castro Alves. No penúltimo dia do evento, quinta-feira (10), foi a vez do Projeto Axé se exibir.

Encerrada nesta sexta-feira, com a exibição de um vídeo institucional produzido pela Assessoria de Comunicação Social do TJBA (Ascom), além das apresentações culturais, a campanha incluiu a exposição de vídeos e fotografias para homenagear crianças e adolescentes.

Aniversário do ECA – O Estatuto da Criança e do Adolescente completa 29 anos no dia 13 de julho, sábado. Esta Lei, nº 8.069/1990, é considerada um marco referente à proteção integral às pessoas que se encontram na faixa etária até 18 anos incompletos, além de 18 a 21 anos, em casos excepcionais. Busca garantir os direitos fundamentais das crianças e dos adolescentes, consagrando-os como cidadãos, e reflete avanços já obtidos em âmbito internacional. Foi inspirado nas diretrizes da Constituição Federal de 1988.

Compartilhar:
Imprimir