Rádio TJBA RÁDIO TJBA

Sala de
Imprensa

Notícias




Roda de Conversa esclarece dúvidas e incentiva a adoção

Texto: Ascom TJBA / Fotos: Nei Pinto

Compartilhar:

O Shopping da Bahia promoveu, na manhã dessa quarta-feira (8), na Sala 1 do UCI Orient, uma sessão especial. Na tela, no entanto, nada de filme. Os expectadores ali reunidos assistiram emocionados à Roda de Conversa “Dialogando sobre adoção: Adotar é escolher o amor e ser escolhido por ele”, da qual participaram a Juíza-Corregedora, Suélvia dos Santos Reis Nemi, e o Juiz Titular da 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador, Walter Ribeiro.

O debate integra a campanha de Dia dos Pais do Shopping da Bahia que, este ano, não se limitou ao apelo comercial e buscou trazer informações relevantes sobre adoção. Durante o encontro, mediado pela Jornalista Rita Batista, estiveram presentes também dois dos pais cujas histórias ilustram a campanha. Fred Soares e André Luiz contaram sobre seus atos de amor e incentivaram a adoção. Marcaram presença também os jovens Henrique e Eric Santos, acolhidos desde a infância na Casa de Apoio e Assistência aos Portadores do Vírus HIV (Caasah).

Na oportunidade, os Magistrados esclareceram sobre os passos para quem deseja adotar, os atributos para se tornar apto, o funcionamento da fila de espera, além de falar sobre os perfis de crianças e adolescentes que aguardam por um lar. Iniciando as elucidações, a Juíza-Corregedora abordou as funcionalidades do Novo Cadastro de Adoção, que está em fase de testes e será lançado no próximo dia 20. A Magistrada enfatizou a importância do desprendimento em relação às escolhas dos perfis, fator que dificulta o andamento das filas.

“Infelizmente, a questão dessa escolha acaba restringindo muito e dificultando a finalização do processo de adoção. O ideal seria que, realmente, se seguisse a adoção como um ato de amor. O ideal seria as pessoas conhecerem. Habilitarem-se, logicamente, mas conhecerem, irem aos abrigos. Se a pessoa tem aquele sentimento de adoção, se ela quer adotar, o ideal seria ela não ficar fazendo escolhas matemáticas”, defendeu.

O Juiz Walter Ribeiro também pontuou acerca do questionário preenchido pelos pretendentes, o qual é utilizado para se definir o perfil desejado. Para ele, essa ferramenta, embora legalmente estabelecida, contribui para o engessamento do processo.

“Filho não se define. Você quer pertencer a alguém e também fazer-se pertencer ao outro. Então, como é que você chega lá e tem que dizer que é de tanto a tanto. Eu acho que o questionário é você dizer eu quero um filho. Não tem que dizer que é menino, que é menina, se é branco, se é preto, se é 15 anos, se é 12 anos. Agora, a partir do momento que você vai se envolvendo dentro do processo, você vai percebendo e recebendo esse chamado. Ou seja, são eles [a criança ou adolescente] que despertam isso em você. Ninguém é obrigado a levar aquele, mas amor é algo que se sente, não se estabelece por regras”, disse o Magistrado.

Justamente por não estabelecer muitos padrões em seu cadastro, o Diretor Artístico Fred Soares foi selecionado, para sua surpresa, bem antes do esperado. “Reveja sua ficha, abra o seu leque. Eu acredito que, por eu ter me desprendido dessas escolhas todas que o universo me correspondeu”, afirmou Fred.

Além de tirar as dúvidas relacionadas à adoção, o Juiz Walter Ribeiro apresentou ainda outras formas por meio das quais crianças e adolescentes institucionalizados podem ser ajudados, como é o caso do apadrinhamento.

Finalizando a conversa, Fred Soares fez questão de ressaltar o excelente trabalho da equipe do Juizado, que dá todo o suporte necessário, e também deixou a sugestão para que, independentemente de adoção, as pessoas visitem os abrigos e orfanatos. Para ele, adotar não é apenas levar para casa e sim se doar. Já André Luiz, encerrou sua participação ratificando que a felicidade, tão buscada por todos, está ligada ao amor, que se manifesta de múltiplas formas, e a adoção, para ele, é um exercício de amor.

A Campanha – Além das rodas de conversa, o estabelecimento criou um espaço em que os clientes podem conhecer histórias de pais adotivos, tirar dúvidas sobre o processo de adoção, a fila de espera, entre outras questões relacionadas. A equipe da 1ª Vara da Infância e Juventude de Salvador está disponível no terceiro piso, em frente à Livraria Saraiva, até o próximo dia 12.

A campanha do Shopping da Bahia é realizada em parceria com o Instituto Íris e o Tribunal de Justiça da Bahia, por meio da Corregedoria Geral da Justiça do Estado Bahia, da 1ª Vara de Infância e Juventude do Estado da Bahia e da Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional (Cejai).

Saiba mais sobre o tema acessando a 2ª Edição do Informativo #TJBA

Compartilhar:
Imprimir