Seu Browser não suporta JavaScript!
TJBA Radio
Rádio TJBA RÁDIO TJBA
Selo Justiça
Facebook Twitter Youtube Flickr Instagram

PJBA realiza seu primeiro leilão virtual

Texto: Ascom TJBA

Compartilhar:
Imagem Galeria
Primeiro leilão virtual do PJBA aconteceu no dia 13 de novembro

Com a pandemia do novo coronavírus, as reuniões e eventos virtuais tornaram-se rotina. No Judiciário, a realidade não é diferente: o Poder Judiciário da Bahia (PJBA) realizou o primeiro leilão por videoconferência. O evento aconteceu no dia 13 de novembro, e foram disponibilizados 13 lotes de bens móveis em desuso pelo Tribunal, como equipamentos gráficos, armários, mesas e cadeiras.

Entre os pontos positivos de realizar o leilão online, está a possibilidade de evitar aglomeração de pessoas, medida essencial para diminuir a propagação do vírus. Além disso, a realização do leilão nesse formato também facilita a logística e diminui os custos financeiros, já que não há necessidade de ter um espaço físico para receber os participantes.

Como o leilão físico é realizado em Salvador, as Comarcas do Interior da Bahia precisam enviar os bens até a capital. Com a realização do leilão virtual, há um estudo para estender o formato para o interior e, assim, diminuir os gastos com o transporte desses objetos.

“Temos estudos avançados para fazermos um teste piloto na Comarca de Barreiras e comarcas circunvizinhas. Uma das grandes vantagens seria evitar custos com a logística de recolhimento de bens que já estariam em desuso e inservíveis para o Poder Judiciário, tais como diárias, combustível, desgaste e depreciação do veículo”, afirma o Coordenador de Patrimônio, Marcos Barbosa.

 

RETIRADA

Os bens arrematados no último leilão já podem ser retirados, mediante apresentação da Nota de arrematação emitida pelo leiloeiro. As Notas de arrematação relativas a lotes cujos pagamentos forem efetuados em cheques, só serão emitidas após compensação do mesmo.

Os licitantes vencedores deverão retirar os bens (lotes arrematados) no prazo máximo de 10 (dez) dias úteis a contar da data da emissão da Nota de arrematação. Ao fim do prazo, o licitante vencedor perderá o direito ao lote arrematado e ao pagamento efetuado, sem prejuízo das sanções cíveis e criminais cabíveis.

As despesas decorrentes com a remoção, transferência de propriedade, multas e outras que se fizerem necessárias, são de responsabilidade do vencedor do leilão.

Compartilhar:
Imprimir