Seu Browser não suporta JavaScript!
TJBA Radio
Logo
Rádio TJBA RÁDIO TJBA
Selo Justiça
Facebook Twitter Youtube Flickr Instagram

No Dia da Diversidade Biológica, o Núcleo Socioambiental do PJBA reforça a importância do cuidado com a natureza

Texto: Ascom TJBA | Núcleo Socioambiental

Compartilhar:
Imagem Galeria

Hoje, 22 de maio, é o Dia Internacional da Diversidade Biológica e o Núcleo Socioambiental do Poder Judiciário da Bahia, coordenado pela Desembargadora Maria de Fátima Silva Carvalho, evidencia a necessidade de o homem estar em harmonia com a natureza e cuidar de tudo o que a compõe. Confira!

Estamos nos aproximando do Dia da Biodiversidade, e para tal é importante que dediquemos um tempo e até um espaço para reflexão do significado da Biodiversidade – o que os biólogos e os ecologistas tanto estudam e lutam para manter o nosso planeta com todas as espécies vivas, harmonizadas em equilíbrio ecológico: os biomas, a flora, a fauna e tudo mais que tem vida no planeta. E tudo, na mais perfeita ordem e equilíbrio! Se há uma espécie ameaçada de extinção, trava-se uma luta para reverter o quadro de devastação, a situação de exclusão, no sentido de preservar a existência e salvar a vida daquela espécie. Como já foi o caso das baleias, das tartarugas marinhas e de tantas outras espécies animais. Por que será que se luta tanto para salvar espécies?

 Na natureza, tudo tem sua importância, sua função, seu propósito. Cada animal tem seu habitat, e ocupa um espaço na cadeia alimentar. E assim formam-se os nichos que compõem um sistema ecológico. Cada parte tem uma função, um propósito, um papel; daí a sua importância para compor o todo, a totalidade! A falta de um, pode desencadear num processo continuado de faltas e iniciar um processo de extinção. A extinção é um processo de exclusão, de degradação da vida. Ao contrário, a preservação é um processo de inclusão, de manutenção e expansão de vida, é um processo de salvação!

 A nossa consciência ecológica passa por uma reflexão sobre a importância da vida harmônica homem x natureza, até porque o homem é a parte da natureza que ocupa posição de domínio sobre ela e sobre as demais criaturas. Assim o Homem co-criador assume a condição de domínio pela divindade que o exerce pela via do serviço, da proteção e do amor incondicional que se consolida com o respeito aos seres da natureza a partir do conhecimento das suas necessidades, importância para o todo, e peculiaridades de cada criatura! Do mesmo modo na relação entre os Humanos deve permanecer as mesmas prerrogativas da sua relação com as demais criaturas! Só assim, o Homem poderá desenvolver suas linhas de vivência para o Pensar Global e Agir local; prática indispensável para expansão da consciência cósmica, para a vida plena e sustentável no planeta!

 A exclusão resulta em partes. O processo de exclusão gera cada vez mais partes menores e quanto mais intenso for o processo de exclusão, menores partes, até o nada – a morte. Ao contrário: a inclusão resulta no todo. Portanto exclusão é processo de morte! A inclusão gera a diversidade! A inclusão, portanto, é processo de VIDA!

 De acordo com o Artigo 2º da Convenção sobre Diversidade Biológica, a biodiversidade pode ser definida como: “a variabilidade de organismos vivos de todas as origens, compreendendo, dentre outros, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos de que fazem parte; compreendendo ainda a diversidade dentro de espécies, entre espécies e de ecossistemas.”

 A Biodiversidade é “totalidade dos genes, espécies e ecossistemas de uma região”.  

 A convenção de 1972 da UNESCO estabeleceu que os recursos biológicos, tais como plantas, eram uma “herança comum da humanidade”. Essas regras provavelmente inspiraram a criação de grandes bancos públicos de recursos genéticos, localizados fora dos países-recursos.

 Novos acordos globais (Convenção sobre Diversidade Biológica), dão, agora, direito nacional soberano sobre os recursos biológicos (não propriedade). A ideia de conservação estática da biodiversidade está desaparecendo e sendo substituída pela ideia de uma conservação dinâmica, através da noção de recurso e inovação.

 Os novos acordos estabelecem que os países devem conservar a biodiversidade, desenvolver recursos para sustentabilidade e partilhar os benefícios resultantes de seu uso. Sob essas novas regras, é esperado que o bioprospecto, ou coleção de produtos naturais, tem que ser permitido pelo país rico em biodiversidade, em troca da divisão dos benefícios.

A biodiversidade é comemorada no dia 22 de maio conforme instituído pela Organização das Nações Unidas –ONU:

 – O Brasil tem 1/5 da biodiversidade mundial, com 50 000 espécies de plantas, 5 000 de vertebrados, 10-15 milhões de insetos, milhões de micro-organismos.

– A Índia apresenta 8% das espécies descritas, com 47 000 espécies de plantas e 81 000 de animais.

 Assim as instituições e os governos promovem a rede de sustentabilidade da Biodiversidade do planeta. E você o que pode fazer para estimular e fortalecer a vida no planeta? Como exerce o seu papel de guardião da VIDA? Estás vivendo em plenitude? Comemore a sua vida no Dia da Biodiversidade. Você é um presente, no tempo presente, aqui e agora! Deus se faz um PRESENTE vivo e real através da sua VIDA; afinal seu DNA é ÚNICO! Então, Parabéns pela simples plenitude e dignidade de vida em harmonia!

Compartilhar:
Imprimir