Seu Browser não suporta JavaScript!
TJBA Radio
Logo
Rádio TJBA RÁDIO TJBA
Selo Justiça
Facebook Twitter Youtube Flickr Instagram

“Mudanças que a pandemia nos impôs”, foi o tema do I Webinário Justiça Restaurativa do PJBA, ocorrido nesta terça-feira (16)

Texto: Ascom PJBA

Compartilhar:
Imagem Galeria

A tarde desta terça-feira (16) foi marcada pela realização do Webinário “Mudanças que a pandemia nos impôs”, sob o viés da Justiça Restaurativa (JR). Na oportunidade foram abordados aspectos que a atual situação de isolamento social (imposto pela pandemia do Coronavírus) evidencia e a relação deles com a JR.

A Presidente do Núcleo de Justiça Restaurativa do Comitê Gestor do Núcleo de Justiça Restaurativa de 2º Grau do Poder Judiciário da Bahia, Desembargadora Joanice Maria Guimarães de Jesus, abriu o evento, que foi transmitido no canal do Youtube da Corte. Na oportunidade, ela destacou que a humanidade chegou a um ponto que precisava mudar.

“Acredito que agora estamos em um trabalho de parto, e todos estão ajudando para que essa nova forma de vida apareça. É nisso que a JR entra. Ela é uma nova forma de fazer Justiça, um pensamento da pós modernidade”, ressaltou a magistrada.

Segundo ela, sentimentos estão sendo passados pela tela neste momento. Os operadores do direito não estão perto das pessoas, então a JR se faz necessária. E a maior lição que a pandemia nos traz é a nova maneira de lidar com as pessoas, natureza etc.

Interconectividade, dependência um do outro e desejo de viver em bons relacionamentos são alguns dos valores da Justiça Restaurativa que estão em destaque na pandemia. Quem abordou o assunto foi a Juíza Fausta Cajahyba, Coordenadora do CEJUSC Justiça Restaurativa de Salvador, em sua fala no Webinário.

Participaram também do debate, a Psicóloga Cristina Goulart, Coordenadora da Equipe Multidisciplinar do Núcleo, e a Servidora Miriam Santana, Coordenadora do Núcleo de Justiça Restaurativa de 2º Grau (NJR2).

A Juíza Rita Ramos, Coordenadora da Universidade Corporativa do Judiciário baiano (Unicorp), e a Juíza Andremara dos Santos marcaram presença no evento online. Também acompanharam o bate-papo, as magistradas Cristiane Menezes (Turma Recursal), Adiane Jaqueline (Itambé), Sandra Magali (Ilhéus) e Janine Matos (Poções), além do Juiz  Rodrigo Brito (Brumado).

O tema foi discutido com foco, sobretudo, na realização dos Círculos Virtuais promovidos pelo NJR2 durante este período de isolamento social. A prática dos Círculos Virtuais teve início no dia 27 de março deste ano, incentivada pela idealizadora do Projeto Coração de Tinta e facilitadora Janine Ferraz, Juíza da Comarca de Poções. A realização dos círculos foi logo institucionalizada pelo Núcleo e, hoje, conta com facilitadores, para a prática virtual, na capital e também em outras cidades no interior, como Ilhéus, Ipiaú e Itabuna.

Já foram realizados mais de 95 Círculos Virtuais, contemplando mais de 420 pessoas. Acolhendo magistrados, servidores da Justiça, integrantes de Cejusc’s e Policiais Militares, os círculos contam com a especial participação da comunidade. Já participaram dos encontros, estudantes, advogados, psicólogos, pedagogos, assistentes sociais, que puderam compartilhar os anseios e expectativas vividos neste momento, fortalecendo uns aos outros.

Para participar dos círculos, basta preencher o formulário clicando aqui. A iniciativa é uma alternativa para lidar com as emoções e expectativas vividas diante do cenário mundial de saúde pública em decorrência da pandemia do coronavírus. Por meio dessa iniciativa, as pessoas se conectam por plataformas virtuais, e com o apoio de um facilitador, têm um momento de diálogo e fortalecimento, integração e paz. Participe!

Compartilhar:
Imprimir