Página Inicial » INFORMES » Agentes voluntários de proteção à criança de Jacobina passam por capacitação
Agentes voluntários de proteção à criança de Jacobina passam por capacitação PDF Imprimir E-mail

 

 

Agentes voluntários de Proteção à Criança e ao Adolescente participaram, em Jacobina, de capacitação oferecida pela Coordenação da Infância e Juventude (CIJ) do Tribunal de Justiça da Bahia.

O curso, realizado na quinta-feira (8), no Salão do júri do fórum, foi dividido em três etapas.Na primeira, foi abordada a situação das crianças e dos adolescentes na comarca. Em seguida, o desembargador Salomão Resedá, coordenador da CIJ, fez uma exposição teórica sobre a sistemática da atuação dos agentes.

Na última etapa, os agentes passaram por uma atividade prática, com visitas a bares e hotéis para identificar se haviam menores ingerindo bebida alcoólica ou hospedados sem autorização dos pais.

O curso também serviu para que fossem atendidas algumas solicitações dos agentes. "O tribunal forneceu coletes de identificação e trouxemos cópias do Estatuto da Criança e do Adolescente e cópias de autos de infração", disse o desembargador.

Além da capacitação, realizada a pedido do juiz Marley Cunha Medeiros, titular da 1ª Vara Criminal de Jacobina, houve a divulgação do projeto Eleitor do Futuro, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA).

"A juíza Patrícia Cerqueira, do TRE, mandou o material e demos publicidade, levando a ideia de cidadania para as crianças e os adolescentes", explicou o desembargador Resedá que ressaltou também o compromisso da comunidade de Jacobina com o problema da violência envolvendo os menores de 18 anos de idade. "Estão todos muito preocupados".

O coordenador da Infância e Juventude destaca o poema feito pelo servidor Kléber Timbó, que exemplifica a situação.

"Para eles, refeição
Para nós, lixão
Para eles, Coca-cola
Para nós, lata de cola
Eles querem a felicidade
Nós só queremos, doutor, a igualdade"

Os cursos continuarão a ser ministrados no interior. De acordo com o desembargador, basta acionar a CIJ para que a capacitação seja aplicada nas comarcas.

Texto: Ascom TJBA

 
Banner

  Voltar